Ir para ...

Hoje: 23/10/2017 e são 6:13

O ANO DO LAICATO


“Aos leigos compete por vocação própria, buscar o Reino de Deus, ocupando-se das coisas temporais e ordenando-as segundo Deus. Vivem no mundo, isto é, no meio de todas e cada uma das atividades e profissões, e nas circunstâncias da vida familiar e social, as quais como que tecem a sua existência. […].” (Conc. Vat. II, Lumen Gentium 31).

Na Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, deste ano, da 26 de novembro, terá início, no Brasil, o Ano do Laicato que irá até a mesma Solenidade em 2018. Como no passado, antes da reforma litúrgica do calendário, esta solenidade vem sendo retomada como comemoração da vocação laical. De fato, Jesus Cristo é Senhor da história e conduz todas as coisas no mundo – não somente no interior da Igreja – para o Reino definitivo.

Na contemplação e vivência deste mistério insere-se de modo especial a vocação laical. “Aos leigos compete por vocação própria, buscar o Reino de Deus, ocupando-se das coisas temporais e ordenando-as segundo Deus. Vivem no mundo, isto é, no meio de todas e cada uma das atividades e profissões, e nas circunstâncias da vida familiar e social, as quais como que tecem a sua existência. Aí os chama Deus a contribuírem, do interior, à maneira de fermento, para a santificação do mundo, através de sua própria função; e, guiados pelo espírito evangélico e desta forma, manifestarem Cristo aos outros, principalmente com o testemunho da vida e o fulgor da sua fé, esperança e caridade.” (Conc. Vat. II, Lumen Gentium 31). Podemos assim dizer que a vocação laical é uma das mais expressivas manifestações de uma “Igreja em saída”.

Quando se sublinha a índole secular da vocação laical, não se está excluindo a obra evangelizadora “ad intra” na Igreja. Sem dúvida, os ministérios e serviços prestados pelos leigos e leigas nas nossas comunidades, pastorais e movimentos são vitais para a obra evangelizadora da Igreja.

Este mês de julho, em nossa diocese, está particularmente dedicado à reflexão e estudo sobre a vocação laical. Aqui, na Folha Diocesana, está o subsídio para os grupos de rua e demais grupos que se reúnem semanalmente. Trata-se de uma Leitura Orante que tem como inspiração o Documento 105 da CNBB sobre a vocação laical. Este mesmo documento será objeto de estudo na Semana Diocesana de Formação de 25-28 de julho nas Foranias.

No mês passado, no dia 17 de junho, tivemos uma reunião daquilo que será o CONSELHO DIOCESANO DE PASTORAL, com a presença dos Assessores e Coordenadores(as) diocesanos(as) das Pastorais, Movimentos e Organismos da nossa diocese. A partir da Semana Diocesana de Formação, iremos construindo, aos poucos, o CONSELHO DIOCESANO DE LEIGOS, que é distinto do Conselho Diocesano de Pastoral ou CPP. Os conselhos diocesanos e paroquiais são presididos e convocados pelo bispo e pelos párocos, respectivamente, o Conselho diocesano de leigos, sempre em comunhão com os pastores, refletirão e encaminharão ações concretas evangelizadoras para a presença atuante da Igreja na sociedade.

A vocação laical, fortificada pelo Ano do Laicato, deverá tomar novo fôlego e reencontrar a alegria do anúncio do Evangelho, naquilo que lhe é peculiar.

Por Dom Edmilson Amador Caetano, O.Cist, Bispo diocesano de Guarulhos e Presidente da Comissão para o Laicato, Vida e Família do Regional Sul 1 da CNBB

Fonte: Site CNBB Sul 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *